Águia de Ouro

Ficha técnica

Fundação: 09/05/1976

 

Cores oficiais: Branco e Azul Turquesa

 

Presidente: Sidnei Carriuolo Antônio

 

Vice:  Ariovaldo Wosnik

 

Carnavalescos: Laíla, Fran Sérgio, Sérgio Caputto Gall e Beth Trindade  

 

Mestre de Bateria : Juca Guerra

 

Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira:  João Carlos Camargo e Ana Paula Reis

 

Diretor de Carnaval: Comissão

 

Diretor de Harmonia: Alan Peitl Camilo e Leonardo Nascimento

 

Intérpretes: Douglas Aguiar (Douglinhas) e Tinga

 

Colocação em 2018: Campeã do Grupo de Acesso I

 

Ordem do Desfile em 2019
Grupo Especial - Sábado - 02/03
1ª Escola à Desfilar  -  22H30

  

Enredo de 2019: " Brasil, Eu Quero Falar de Você! "

Enredo 2019

Letra do Samba

BRASIL, EU QUERO FALAR DE VOCÊ! QUE PAIS É ESSE!?

 

Mãe, por que não te fizeste mais gentil?
Mãe! Por eles batizada de Brasil
Pra onde foi o teu olhar
Quando do mar se aproximou
A caravela da ganância
A ambição do invasor
O teu herdeiro então chorou
Derramou seu sangue em vão
E nos tornamos os escravos do próprio chão

 

Ontem preso na senzala, maldade e dor
O negro suplicava: - ó meu senhor!
Hoje amargo preconceito,
Liberdade é uma quimera
Viver livre quem me dera!

 

Vejam só que ironia
Da colônia a monarquia por aqui nada mudou
“Imperava” uma história mal contada
Logo após “republicada” pelas mãos do ditador
Em “planos” um país descolorido
Saqueado e dividido
O poder de quem tem mais
A farra das elites sociais
E o povo na rua, revestido de coragem
“Lava a alma” de esperança pra acabar com a sacanagem

 

Meu Deus escute a Águia cantar
Oh Pai lhe peço: Olhai por nós!
Somos filhos dessa pátria
Que não cuida do que é seu
E não ouve a nossa voz

 

Compositores: Rafael Prates, Russo, Turko, Rafa Malva, Maracá, Fabio Souza, Wagner Rodrigues, Ivanzinho, Jairo Limozine, Carioca, Peu, Fernandão, Zanza Simião, Silva Oliveira, Waltinho, Salles, Fernandinho SP, Paulo Senna, Léo Rocha, Rodolfo Centenaro, Renne Campos, Márcio Filhos da Águia, Nando do Cavaco, André Ricardo, Filosofia, Tuca, Rafael Babú, Leandro Batas, Dico, Diley Machado, Jacopetti, Portella

Nossa história

As batucadas da Águia de Ouro já eram ouvidas pelas ruas de São Paulo lá pelos anos 1970, quando uma roda de samba animava o fim das partidas de futebol de várzea do time Faísca de Ouro.
 
Quem fazia o batuque eram ex-integrantes da Pérola Negra, escola da Vila Madalena, comandados por Gilson Carriuolo Antônio e Maíco. O sucesso das rodas era tanto que o nascimento da escola de samba foi natural, no dia 9 de maio de 1976.
 
Foram 10 anos de ensaios pelas praças da Vila Anglo Brasileira e, em 1986, a Águia de Ouro conseguiu um espaço sob o Viaduto Pompeia. Lá a escola fez sua sede e permaneceu até 2010, quando se mudou para a sonhada quadra localizada na Avenida Presidente Castelo Branco.
  
O primeiro desfile da Águia de Ouro aconteceu já no ano seguinte, em 1977, no Grupo 4 da UESP. “A Bahia de Jorge Amado” foi o enredo escolhido e o samba era de Ditinho. Logo de cara a agremiação conquistou o vice-campeonato.
 
A Águia nunca foi campeã do Grupo Especial do Carnaval, apesar de ser figura frequente na principal divisão, mas já teve enredos de bastante destaque, como quando em 2001 fez uma crítica política comparando a corrupção existente no Brasil à bruxaria, com políticos e artistas em seu desfile.
 
A agremiação terminou em terceiro lugar na elite do samba paulistano em duas oportunidades e em 2017 foi rebaixada para o Grupo de Acesso, divisão que não disputava desde 2009.

Últimas notícias Ver todas