2 2 4

DIAS PARA O CARNAVAL!

Colorado do Brás

Ficha técnica

Fundação: 01/10/1975

Cores oficiais: Vermelho e Branco

Presidente: Antonio Carlos dos Santos Borges (Ká)

Vice: Gilson Ramalho

Carnavalesco: Leonardo Catta Preta

Diretor de Bateria: Mestre Allan Meire

Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira: Ruhanan Pontes e Janny Moreno

Diretores de Barracão: Leandro Martini, Matheus Custódio e Fernando Andreozzi

Diretores de Harmonia: Ulisses Ozzetti

Rainha de Bateria: Muriel Quixaba

Enredo de 2018: "Axé - Caminhos que levam à Fé"

Intérprete: Chitão Martins

Melhor colocação no Grupo Especial: 6º lugar (1987)

Enredo 2018

Letra do Samba

AXÉ - CAMINHOS QUE LEVAM A FÉ

Meu tambor é mandingueiro
Firma o canto no terreiro
Hoje vai ter Xirê, hoje vai ter Xirê
Roda baiana, salve todos Orixás
Axé a Colorado vai passar

Abrem-se os caminhos na avenida
Laroyê Exu, suprema é a força de Olorum
Olodumarê traça o destino de nossas vidas
Sou eu a vida obra de Obatalá
Sou eu a pura criação de Oxalá
Berço da humanidade e fé
Mãe África derrame o seu Axé
Semeando a cultura em teu sangue a bravura
Aos ventos de Orum, Ori Alafia Eparrey Oyá

Okê Arô, Ora Yêyêo
Odoyá Kawo Kabecilê
Saluba Nãnã Atotô Obaluaê
Ogunhê Arroboboy Oxumarê

É festa grande Olubajé, a roda gira no Ilê Colofé
Tem Canjanjam Candomblé
No mar sofrimento e dor
Esperança e amor em um novo amanhã
Bahia de todos os santos
Acolhe teus filhos
Herdeiros da força de seus ancestrais
Xeuêpa Baba, vou me banhar
Nas águas sagradas de Oxalá
Um banho de Axé caminhos que levam a fé


Compositores: Marcio Pessi, Edson Daféh, Gilson Caffe, Magrão da Caprichosos e Hermes Sobral

Nossa história

A história da escola Colorado do Brás começa no dia 1º de outubro de 1975, a partir de uma reunião entre amigos com o comum objetivo de divulgar a cultura popular brasileira e desenvolver projetos sociais para atender a comunidade mais carente da região do Brás.
 
Em parceria com diversos moradores do bairro, Sr. José Preto, D. Marta, Percival, Tino e Tuia deram início à história da Colorado do Brás.
 
A agremiação herdou o nome do time de futebol do qual seus fundadores eram membros. Com o passar dos anos, tornou-se uma grande escola de samba, chegando a participar do Grupo Especial.
 
Reconhecida como Entidade de Utilidade Pública, a escola sempre lutou para manter e ampliar os projetos sociais que desenvolvia para a comunidade – a exemplo do projeto Kinderê, que formou profissionais em várias áreas de atuação.
 
Em 1991, conquistou um espaço social localizado na Rua Carlos de Campos, no bairro do Pari. Essa vitória impulsionou os trabalhos e a escola retornou ao Grupo Especial por mais dois anos, em 1992 e 1993.
 
No final da década de 1990, a história de sucesso da escola teve um declínio, reflexo de sucessivas administrações conturbadas que levaram ao encerramento dos projetos sociais e à perda da quadra. Em 2008, ainda no Grupo 1, a escola conquistou um espaço na Rua Miguel Paulo Capalbo, no mesmo bairro do Pari que passou a ser seu berço na década de 90.
 
No último Carnaval, em 2017, a Colorado ficou com o terceiro lugar na disputa do Grupo de Acesso.

Últimas notícias Ver todas

Matérias Recomendadas