0 5 3

DIAS PARA O CARNAVAL!

GARANTA SEU
INGRESSO!

Dragões da Real

Ficha técnica

Fundação: 17/03/2000

Cores oficiais: Vermelho, branco e preto

Presidente: Renato Remondini (Tomate)

Vice: Flávio Beverari (Binho)

Comissão de Carnaval: Dione Leite, Marcio Gonçalves, Rogerio Felix

Diretor de Bateria: Mestre Jorge Tornado

Diretor de Carnaval: Marcio Santana

Diretores de Harmonia: Rogerio Felix

Rainha de Bateria: Simone Sampaio

Madrinha da Escola: Tania de Oliveira

Enredo de 2018:  "Minha música, minha raiz! Abram a porteira para essa gente caipira e feliz!"

Intérprete: Rene Sobral

Melhor colocação no Grupo Especial: Vice-campeã (2017)

Texto Destaque

A Dragões da Real foi fundada em 2000 e trilhou um caminho de rápidos acessos até chegar ao Grupo Especial e colocar seu nome na história do Carnaval de São Paulo. 
 
Inspirada pelo amor ao Carnaval, já são sete anos desfiando na elite do samba paulistano, sendo que o melhor resultado foi o vice-campeonato em 2017.
 
Em 2018, a Dragões irá desfilar o enredo “Minha música, minha raiz! Abram a porteira para essa gente caipira e feliz”, uma homenagem à música caipira. A agremiação será a penúltima a se apresentar na segunda noite de folia no Anhembi.

Nossa história

O Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Dragões da Real foi fundado dia 17 de março de 2000 por associados da torcida que já frequentavam algumas escolas de samba de São Paulo. A decisão de formar uma nova escola teve o objetivo de proporcionar maior integração e cultura aos associados. Enfim: amor pelo Carnaval!
 
A escola conquistou o título do Grupo 4 da UESP logo na sua estreia e, com isso, o entusiasmo ficou ainda maior. O tão sonhado dia chegou e, em 2005, lá estava a Dragões da Real alçando os voos mais altos na passarela do samba paulistano, o Sambódromo do Anhembi.
 
Disputando com escolas de samba tradicionais, que inclusive que já tinham participado do Grupo Especial, logo em seu primeiro ano de Anhembi a Dragões ficou em segundo lugar e venceu mais uma etapa, chegando ao Grupo de Acesso em 2006.
 
Os ensaios, alegorias, fantasias, enfim... Tudo na escola começou a tomar outras proporções e cada vez mais a estrutura de trabalho foi aumentando. Em 2011, o grande sonho se realizou, a Dragões venceu o Grupo de Acesso e no ano seguinte fez a sua estreia no Grupo Especial, terminando no sétimo lugar, a posição mais alta que um estreante da elite conseguiu até hoje.
 
O bom trabalho continuou e os resultados seguiram aparecendo. Após a quarta posição de 2013 e a quinta colocação de 2014 e 2015, a agremiação chegou ao vice-campeonato em 2017, perdendo o título para a Acadêmicos do Tatuapé apenas nos critérios de desempate.

Últimas notícias