0 5 3

DIAS PARA O CARNAVAL!

GARANTA SEU
INGRESSO!

Pérola Negra

Ficha técnica

Fundação: 07/08/1973

Cores oficiais: Vermelho, azul, branco e preto

Presidente: Sheila Monaco

Vice: Carlinhos Barbosa

Carnavalesco: Anselmo Brito

Diretor de Bateria: Mestre Fernando Neninho

Diretores de Carnaval: Giovana Monaco e João Ricardo Alexandre (Jhony)

Diretores de Harmonia: Fabio (Boy) e Rafael Valerio

Rainha de Bateria: Angelica Ramos

Madrinha da Escola: 

Enredo de 2018: “Numa viagem arretada por terras nordestinas, a Joia Rara do Samba embarca rumo ao maior São João do Mundo: Campina Grande”

Intérprete: Daniel Colette

Melhor colocação no Grupo Especial: 5º lugar (1976 e 1979)

Texto Destaque

Do sonho e da união de sambistas, nasce em 1973 a escola de samba Pérola Negra. A estreia no carnaval paulistano aconteceu em 1974 na Avenida São João, e já se consagrando na época a campeã do Grupo III da UESP.
 
A Pérola Negra tem sua origem na Vila Madalena, um dos bairros mais boêmios da capital paulista e com uma história cultural fantástica.
 
Em 2018, a agremiação, integrante do Grupo de Acesso, será a sétima e penúltima escola a desfilar no dia 11 de fevereiro. O enredo apresentado se chama “Numa viagem arretada por terras nordestinas, a Joia Rara do Samba embarca rumo ao maior São João do Mundo: Campina Grande”.

Nossa história

Do sonho e da união de sambistas do Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos de Vila Madalena e Bloco Boca das Bruxas surge a Escola de Samba Pérola Negra. O nome apareceu da visão de seus fundadores por ser a Pérola Negra uma joia rara, usando a alusão de “A Joia Rara do Samba”. Outra versão é que seu nome é sugestão de seu fundador, que observava uma garrafa da cerveja Pérola Negra.
 
Sua estreia no Carnaval paulistano ocorreu no ano de 1974, levando para a avenida São João o tema enredo “Piolim, Alegria Circo História”, resultado: Pérola Negra campeã do Grupo 3 da UESP.
 
Com esse resultado surpreendente, pessoas ainda indecisas resolveram aderir ao projeto e no Carnaval de 1975, quando contagiaram a avenida com o enredo “A São Paulo de Adoniran”, o resultado não poderia ser outro senão: Pérola Negra, campeã do Grupo 2 da UESP. Em 1976, com o enredo “Portinari, Pintor do Povo”, passou a fazer parte da elite do Carnaval paulistano, tornando-se a "febre" do momento.
 
Tiveram vários momentos inesquecíveis de glórias e desafetos, alegrias e tristezas, mas sem perder a paixão pelo samba que é a nossa alegria palavras bem lembradas na letra do nosso hino; composto pelo poeta Pasquale Nigro, compositor e um dos idealizadores da escola. Morador da tão singular comunidade da Vila Madalena e ainda ativo nos assuntos da escola.
 
A Pérola Negra está localizada em uma região da cidade de São Paulo que vem se valorizando nos últimos tempos, a Vila Madalena. Mas a sua presença no lugar vem desde quando a Vila era um bairro de operários e ainda não tinha todo o agito dos dias atuais.